Dez mandamentos do sucesso do Icasa na Série B

Publicado em 15/11/2013

Icasa 10

O Icasa faz ótima campanha na Série B do Campeonato Brasileiro 2013.

O clube tem a menor folha salarial entre os 20 times da segundona.

Gasta por mês menos de 250 mil reais com jogadores e comissão técnica.

Mas, faz estrago na competição e depende só dele pra chegar a primeira divisão.

O Blog do Pizzato lista os 10 mandamentos do sucesso do Verdão na Série B:

 

1. Investidor – O clube tem um empresário que equilibrou as contas, investiu na contratação de jogadores e organizou o departamento financeiro.

2. Gerencia de Futebol – Fred Gomes assumiu no início do ano, venceu a pressão e a desconfiança para montar um time competitivo.

3. Sidney Moraes – O jovem técnico de 36 anos teve personalidade pra bancar um esquema tático questionado, arrumou a defesa e teve participação direta na contratação de jogadores importantes como por exemplo o atacante Tadeu.

4. Comissão Técnica – Os profissionais que cercam Sidney Moraes foram escolhidos a dedo por ele e emprestam a experiência necessária ao treinador e ao clube. O auxiliar-técnico Wanilton Zambroti, o preparador físico Cláudio Café e o fisioterapeuta Marcos Lima têm voz e vez nas decisões do técnico.

5. Departamento Médico e de Fisioterapia – Em uma competição longa de 8 meses como a Série B, o desgaste físico e as lesões são inevitáveis. E, tirando as graves contusões, esses dois departamentos conseguiram deixar os principais jogadores quase sempre a disposição pra jogar.

6. Reforços durante o campeonato – O Icasa soube “pinçar” no mercado durante a competição, jogadores com as características que precisava e que cabiam no orçamento do clube. Como exemplo cito Geraldo, Tadeu e Preto Costa.

7. Pulso firme – Por vezes a comissão técnica do Verdão se viu em saia justa com o grupo. Porém, com pulso firme, os problemas foram resolvidos. Assim foi na saída do lateral Carlinhos e do artilheiro Tadeu.

8. Estilo de jogo – Com uma formação 3-5-2 no papel, o time consegue alternar para um 4-4-2 com a bola rolando. Luiz Otávio flutua entre a zaga e o meio campo, se tornando um carrapato do principal atacante ou armador adversário.

9. A Estrela – Sidney Moraes sempre teve estrela para fazer as substituições. Seja definitiva, por conta da saída de algum atleta ou durante os jogos mesmo. O torcedor sempre esqueceu o antigo queridinho.

10. Padre Cícero – Porque a fé é grande demais, amigo! E tem entrado em campo de verde.

 

 .

LEIA MAIS:

COMPARTILHE:


COMENTE: