Copa nossa de cada dia…

Publicado em 24/12/2013

Pés descalços bola

* Crônica, ensaio ou coisa parecida, por Vinícius Augusto Bozzo

 

Eu me lembro que fiquei empolgado com a notícia que seríamos o país sede de uma Copa do Mundo. Ainda acho que foi uma boa escolha, pelo menos para nós, brasileiros.

Somos o país que mais ama futebol, mas já não somos os únicos que sabem jogar. Somos a torcida que mais sabe gritar, mas também sabemos brigar, bater e violentar. O futebol faz parte da nossa cultura, mas nossa cultura não anda tão bem das pernas. Fazemos gols de letra, mesmo com a insistente taxa de analfabetismo funcional. Fazemos gols de bicicleta, mesmo com pouquíssimas ciclovias pelo país e quase nada de planejamento de mobilidade urbana. Jogamos bola em qualquer solo, gramado, campo de terra ou até num tapetão.

Ainda assim, sou otimista, sou brasileiro… Acredito no futebol como esporte que inclui ao invés de excluir. Um esporte capaz de transformar histórias, abrir caminhos, criar futuros… Campeões na taça, no grito e na vida podem surgir. Maluco seria eu de não acreditar nesta capacidade do futebol, que faz muito mais do que três pontos por rodada. Um poder de mudança que vira a mesa de verdade e nos apaga da memória todos os gols contra já produzidos. Queria poder fazer mais de três gols e pedir uma música no Fantástico. Pediria um silêncio. Aquele da torcida segundos antes de um pênalti aos 45 minutos do segundo tempo.

E para aqueles que ainda hoje olham torto para as obras “quase” finalizadas e dizem: “eu quero ver é na Copa”, informo que ela vai chegar. Preparados ou não, nosso maior problema já não é mais a nossa seleção. Mesmo com toda angústia, com todo atraso, com todo o fazer nas coxas, com o jeitinho brasileiro. Eu ainda acredito: tem jeito de ser a Copa mais maravilhosa já vista, antes da próxima.

Mas, quem sou eu para falar tais asneiras como um técnico de futebol na parada de ônibus? Sou brasileiro, fã de futebol, que não vai ao estádio há alguns anos por conta da violência, coleciono camisas de futebol e dou show no Playstation. Não sou ninguém para analisar nossa Copa, nosso futebol. Porém, Carlos Drummond de Andrade não me deixa esquecer que “bem-aventurados os que não entendem nem aspiram a entender de futebol, pois deles é o reino da tranquilidade”.

Vinicius Augusto Bozzo é músico, redator publicitário, comediante e torce por um futebol verdadeiramente campeão..

LEIA MAIS:

COMPARTILHE:


COMENTE: